OBSERVÁVEL

GATO

Este conceito foi introduzido na Física e, em especial, na Mecânica quântica, por Dirac. Na Física clássica, a possibilidade de observação de uma propriedade física se admite a priori, porém não ocorre o mesmo em Mecânica quântica. Em Mecânica clássica uma variável dinâmica, relativa a qualquer estado físico de um sistema físico, vem dada como uma função determinada do tempo. Está, pois, definida e é, portanto, medível em qualquer instante. Em Mecânica quântica, o dualismo onda-corpúsculo faz que isto não seja possível. Um sistema elementar aparece ora como onda, ora como partícula; quer dizer, algumas vezes observamos propriedades ondulatórias e outras vezes propriedades corpusculares. Num mesmo instante, não podemos efetuar ambos os tipos de observações: uma observação exclui a outra. Se chama observável uma magnitude tal que é medível em um instante determinado. A descrição de uma observação no domínio da Mecânica quântica é a mesma que na Física clássica: a observação proporciona um número, como resultado da medição. Na Física clássica, se pode seguir o curso temporal de um acontecimento mediante uma sucessão de observações; porém não se pode fazer assim na Mecânica quântica, pois no domínio da microfísica cada medição modifica o estado do objeto e a forma em que aparece. Portanto, depois de uma medição, deveria recobrar-se o estado inicial antes de poder efetuar-se uma segunda observação. Naturalmente, o resultado desta segunda medição depende de uma maneira direta da primeira medida.

São observáveis, por exemplo, a posição, o impulso, a energia, o spin, porém não são observáveis os estados que são representados pela função Ψ.

A magnitude matemática que representa um observável, precisamente não é um simples número, mas sim um operador. Porém os operadores só podem considerar-se como números dentro de certos limites. Assim, nem todo operador é comutativo ou permutável quando à multiplicação; por exemplo, o operador de spin é anticomutativo. Nestes casos se fala também de operador anticomutativo (ou, bem, de operadores comutativos ou permutáveis).

POSTED BY SELETINOF AT 7:23 AM

Sobre seletynof

Escola (ensino médio):Colégio Marista Cearense;Faculdade/Universidade: Universidade Federal do Ceará;Curso:Física; Diploma:Pós-Graduação em Física;Profissão:físico e professor; Setor:Científico.

Publicado em 14 de fevereiro de 2007, em FISICAMATEMATICA. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: